«A informação é uma guerra, uma guerra entre modelos sociais. Entre os defensores de um mundo desigual, injusto, governado por depravados e autênticos terroristas que impõem a sangue e fogo um modelo económico que condena à morte milhares de pessoas em todo o mundo, e aqueles que decidem estar ao serviço dos grupos, movimentos, intelectuais e outros lutadores, que todos os dias arriscam a vida a defender outro modelo de mundo possível.»
Pascual Serrano - José Daniel Fierro

REFORMAS E BAIXAS MÉDICAS EM PORTUGAL - escândalos!

__

COMER E CALAR! - até quando?


___________________________

segunda-feira, outubro 06, 2008

O que não cai do céu.....

Há uns dias contaram-me o que é isso da dissonância cognitiva.

Diz que é uma espécie de contradição psicológica interna desagradável e que provoca a necessidade de se tomar uma decisão que provoque equilíbrio emocional.

Bom para o caso deram-me o exemplo de um grupo de religiosos que se encontram todos os anos num estádio para rezar enquanto esperam pelo fim do mundo. No fim verificam que de facto o mundo continua e explicam essa contradição com o facto de terem rezado enquanto esperavam. A sua fé salvou-(n)os. Mas todos os anos voltam porque acreditam no fim do mundo e também no seu sistema de crenças.

Bem, o sistema financeiro funciona de maneira parecida, ou seja, funciona porque quem empresta "acredita" que os aforradores não correm todos aos mesmo tempo a levantar as suas poupanças e a pedir o que lhes pertence.

Toda a sustentação do sistema financeiro e que sustenta toda a economia de mercado depende dessa dissonância cognitiva sabe-se que pode acontecer, mas se não acontece deve-se ao sistema de crenças implantado.

Adoramos de tal forma o este sistema de crenças que até estamos dispostos a pagar altos “dízimos” para salvar toda a "Igreja".

Que tal tornar o sistema mais científico?

Etiquetas: ,

8 Comments:

At segunda-feira, outubro 06, 2008 9:53:00 da tarde, Blogger O Guardião said...

O sistema financeiro tornou os seus protagonistas em jogadores (o jogo da bolsa), o que se tornou um vício, e agora dizem-me que a solução é dar (injectar) mais dinheiro para os jogadores continuarem a dar asas ao seu vício. Não sei o que vai dar, mas já estamos todos a pagar.
Cumps

 
At terça-feira, outubro 07, 2008 7:43:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Guardião:
não concordo que a bolsa seja um jogo.
é uma oportunidade para se ser capitalista.
resta saber se quem quer ser pode ser.

 
At quarta-feira, outubro 08, 2008 1:37:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Quando foi que apareceu o sentido de Propriedade?Ao que parece não tem assim tantos anos! Não quero ser capitalista!Quero que se pratique a o socialismo!O que Mário Soares escondeu na gaveta...lembram?
Porque somos todos irmãos em cristo devemos ser honestos na distribuição, como na participação .O mundo é de todos e não de 200 familias que nos controlam

 
At quarta-feira, outubro 08, 2008 2:05:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Eu diria que o Guardião tem razão.
Será que aí, na Bolsa, não se ganha e perde?
Obviamente que a quase totalidade da população mundial gostaria de ser rica (capitalista?), visto que foi amestrada para perseguir a especulação. De facto nem todos têm condições para serem capitalistas.Para ser rico (capitalista), para além de falta de escrúpulos tem de ser esperto (com uma licenciatura mesmo que igual ao nosso Primeiro ajuda ainda mais);-)

 
At sexta-feira, outubro 10, 2008 12:11:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Pois é.
Mas para que serve a bolsa?
Sabem ?
Será para especular?
Claro que não.

 
At sexta-feira, outubro 10, 2008 12:15:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Para se ser capitalista basta ter capital.
Se tens 1000 Eur és tão capitalista para os milhões de crianças à fome no 3º mundo como o Bill Gates é para ti.
Lembra-te:
És Rico.
Ponto final.
És capitalista.
A tua consciência julgará o que (não) fazes com o teu capital, Capitalista.

 
At sexta-feira, outubro 10, 2008 1:55:00 da manhã, Anonymous H. RAMOS said...


Para se ser capitalista só é preciso ter-se capital?

Não, não é!

Tem que se juntar ao capital a falta de sensibilidade que os leva a continuar a foder os outros.

Há ricos, não capitalistas, que certamente (como provou a História) trocariam a maior parte dos seus bens pelo bem estar da Humanidade, se para tanto existissem as necessárias condições.

Os capitalistas, por ser de sua condição, nunca se importarão (nem se deixarão de importar) com o bem estar da humanidade.


"Se tens 1000 Eur és tão capitalista para os milhões de crianças à fome no 3º mundo como o Bill Gates é para ti."
.......................
Tenho pena que recorras a raciocínios primários para justificares o injustificável.

Nesse terceiro mundo de q falas há poderosas fortunas nas mãos de grandes capitalistas, muitas das vezes superiores aos do lº mundo.
E vê lá se eles se importam com isso de verem morrer à fome crianças e adultos.
O mal não é dos capitalistas, é do sistema que os protege.

 
At domingo, outubro 12, 2008 3:35:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

acho que és mesmo capitalista.
sensibilidade não te falta.
;)

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home