«A informação é uma guerra, uma guerra entre modelos sociais. Entre os defensores de um mundo desigual, injusto, governado por depravados e autênticos terroristas que impõem a sangue e fogo um modelo económico que condena à morte milhares de pessoas em todo o mundo, e aqueles que decidem estar ao serviço dos grupos, movimentos, intelectuais e outros lutadores, que todos os dias arriscam a vida a defender outro modelo de mundo possível.»
Pascual Serrano - José Daniel Fierro

REFORMAS E BAIXAS MÉDICAS EM PORTUGAL - escândalos!

__

COMER E CALAR! - até quando?


___________________________

domingo, abril 09, 2006

O COMBO-HITO (fim)


(...) Mas, depois, um dia... o Combo-Hito (...) descobriu que tinham caído noutro logro.

**********************************

O rei contratara homens para escrever os livros e pagava a professores para ensinar os jovens. Os livros e as aulas , os jornalistas, a rádio e a televisão eram preparados de forma a levar os combo-hitos a pensar e a agir de determinada maneira, sempre de acordo com os interesses do rei e dos seus amigos. Aquilo que tinha sido uma conquista extraordinária transformara-se numa nova forma de dominação. A luta não tinha terminado. Era preciso recomeçar. A grande lição era esta: NUNCA SE VENCE DEFINITIVAMENTE; a dominação e a exploração têm muitos rostos, artes e manhas. É preciso não "adormecer", é preciso manter vivo o espírito de vigilância crítica, a capacidade de reconhecer o perigo que constituem a habilidade e o poder do inimigo.

********************************************************

Acho que estraguei a história, a bela história do meu amigo e do seu simpático e heróico Combo-Hito. Mas se os filhos dele perceberem porque se passa o que se passa no ensino; se compreenderem porque é que constitui para os trabalhadores e seus filhos uma necessidade fundamental a oportunidade de estudar e porque é que isso se lhes torna cada vez mais difícil e proibitivo; se eles ficarem com uma vaga ideia do que vai pela comunicação social; se lhes conseguir explicar de forma muito simples o que está a acontecer num certo país depois de uma festa muito grande e linda, com cravos vermelhos a florir em armas negras; se eles perceberem isso, julgo que perdoarão, um dia, áquele velho gordo e antipático a quem o pai insiste em chamar amigo, o ter-lhes estragado uma história linda que terminava bem, acrescentando-lhe por sua conta um «POR FAVOR, PROSSIGAM. A HISTÓRIA NÃO ACABA AQUI!»

1 Comments:

At segunda-feira, abril 10, 2006 7:14:00 da tarde, Anonymous Zeca Gallo said...

Você anda a lutar contra moínhos de vento, meu amigo.
Não vê que o pessoal ficou todo programado pelos yakies?
Relaxe-se e beba umas bjecas!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home