«A informação é uma guerra, uma guerra entre modelos sociais. Entre os defensores de um mundo desigual, injusto, governado por depravados e autênticos terroristas que impõem a sangue e fogo um modelo económico que condena à morte milhares de pessoas em todo o mundo, e aqueles que decidem estar ao serviço dos grupos, movimentos, intelectuais e outros lutadores, que todos os dias arriscam a vida a defender outro modelo de mundo possível.»
Pascual Serrano - José Daniel Fierro

REFORMAS E BAIXAS MÉDICAS EM PORTUGAL - escândalos!

__

COMER E CALAR! - até quando?


___________________________

quarta-feira, janeiro 24, 2007

...mas as crianças, Senhor...(*)


Estamos habituados a que nos cheguem notícias de comportamantos humanos execráveis. Notícias essas que, por via de regra, denunciam, na hora, crimes de vária ordem, mas quase nunca envolvendo altas figuras das finanças, políticas ou religiosas, como parece ter sido o caso passado com o controverso papa Pio XII no ano de 1946.
Este papa terá ordenado à Igreja Católica francesa para que não entregasse aos seus próprios pais, ou a instituições judaicas, crianças judias que tivessem sido baptizadas (com o fim de esconder a sua verdadeira identidade), durante a ocupação nazi da França.
Esta denúncia foi feita numa edição do diário italiano
CORRIERE DE LE SERA,
de Milão, no ano de 2004, num texto que foi assinado pelo conceituado historiador
Alberto Melloni
, um dos maiores historiadores do mundo de História Cristã e professor universitário.
Melloni afirma que o papa Pio XII dera pessoalmente instruções precisas, às instituições da Igreja em França, no sentido de envidarem todos os esforços para que as crianças judias acima referidas (e entregues à sua guarda) não fossem restituídas.
Com data de 20 de Outubro de 1946 o Santo Ofício (Actual
SAGRADA CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ) envia, sobre o assunto, uma carta ao Núncio Apostólico em Paris, que o mesmo jornal publica na íntegra. O então Núncio Apostólico em Paris era, nem mais nem menos, que o futuro papa João XXIII.
Perante tanta falta de humanismo, reveladora do comprometimento com o genocídio praticado durante a II Guerra Mundial por ordem de Hitler, eu pergunto, maquiavelicamente, caso seja verdade o que nos contou Melloni:
-Qual a posição do Papa Pio XII, nesse tempo, em relação à interrupção forçada da gravidez, por parte de mulheres judias?

-A tradução italiana do documento original francês pode ser lida aqui:
http://www.corriere.it/Primo_Piano/Cronache/2004/12_Dicembre/28/poppapa.shtml

........

(...)
Que quem já é pecador
Sofra tormentos, enfim!...

Mas as crianças, Senhor
Porque lhes dais tanta dor?
Porque padecem assim?
(...)

Augusto Gil (*)

........
texto refeito em 24.1


7 Comments:

At quarta-feira, janeiro 24, 2007 10:06:00 da manhã, Blogger zezinhomota said...

Infelizmente Zé Lérias, a realidade deste mundo tão hipócrita resume-se a esta minha pergunta;
O que são na realidade as crianças?

Para mim e muita gente são o sonho, a fantasia de hoje e o amanhã deste Universo que teima em andar para trás.
Obrigado pela visita, vim retribuir, mas vou ficar vosso leitor.

Boa semana.

Sejam felizes com os vossos familiares e amigos.

Abraços

do

ZezinhoMota

zezinhodamota@gmail.com
http://zezinhomota.blogspot.com
http://zezinhomota.blogs.simplesnet.pt

 
At quarta-feira, janeiro 24, 2007 11:28:00 da manhã, Blogger Nokitas said...

As crianças são tudo na vida, mas não devem vir ao mundo para sofrer. É tão crime aquela que comete um aborto, como aquela que deixa vir ao mundo uma criança sem condições nenhumas de ter uma vida digna.

Gostamos muito do teu blogue e pedimos que colabores com o nosso.

www.lusoprosecontras.blogspot.com

 
At quarta-feira, janeiro 24, 2007 12:30:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

As crinças são seres não autónomos que como diz K Gibran, "vieram por meio de nós mas não nos pertencem". Nós os trouxemos ao mundo, nós temos a obrigaçao de os cuidar ( alimentar, agasalhar, proteger, educar, AMAR) até se tornarem seres capazes.
Depois, é deixa-las: irem, serem, fazerem, pensarem...

 
At quarta-feira, janeiro 24, 2007 9:16:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Essa de não vir ao mundo para sofrer dá vontade de rir.
O BELMIRO DA AZEVEDO quando andava na primária levava a marmita e comia sentado numa pedra!!Não foi por não passar dificuldades que chegou onde chegou.Se estamos à espera da melhor vida temos que lutar por ela,tendo uma partiçipação activa na sociedade.
As nossas prioridades deviam ser outras O APOIO Á FAMILIA,O APOIO Á MULHER MÃE QUE TRABALHA EM CASA E FORA DELA.DAR VALOR Á MULHER QUE QUER FICAR EM CASA ENQUANTO OS FILHOS NECESSITAM, E CONTAR PARA A REFORMA etc..etc..
Faço votos para que o pessoal não vá sofrer como conheço vários casos,quando tomaram consciencia

O MELHOR DO MUNDO SÃO AS CRIANÇAS!!


HÓ MAES QUE EMBALAIS OS FILHOS COM UM OLHAR DE AMOR PROFUNDO, DEVARINHO!DEVAGARINHO!NESE BERÇO PODE ESTAR O DESTINO DO MUMDO.
J.Brandão

 
At quinta-feira, janeiro 25, 2007 6:58:00 da tarde, Blogger Cucagaio said...

SErá que esse tipo de atitudes só é contada no passado?. Será que hoje a historia é diferente?

 
At sexta-feira, janeiro 26, 2007 11:35:00 da manhã, Blogger Just an ordinary girl said...

Ups, desculpa, nao reparei que tinha comentado anónima. O comentario das 12.30, é meu.

Bom fim de semana!!

 
At sexta-feira, janeiro 26, 2007 11:04:00 da tarde, Blogger Ludovicus Rex said...

Muito interessante este artigo.
Bom fim de semana

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home